Descobrindo o que é culto racional

.
“ROGO-VOS, POIS, IRMÃOS, PELAS MISERICÓRDIAS DE DEUS, QUE APRESENTEIS O VOSSO CORPO POR SACRIFÍCIO VIVO, SANTO E AGRADÁVEL A DEUS, QUE É O VOSSO CULTO RACIONAL” (ROMANOS 12:1)
O termo ‘racional’ remete a raciocínio. Parece bastante óbvio. Assim como também, por associação, se entende que somente os seres humanos podem apresentar tal culto, visto que somente eles possuem raciocínio. Os anjos também possuem raciocínio, porém, por natureza não possuem corpo, visto que são espíritos (Hebreus 1:14). Paulo está falando aqui exclusivamente à igreja.

O vocábulo correspondente na versão original o grego “logikên latreian”, ou seja, ‘culto racional’, também pode ser entendido, sem prejuízo, como ‘culto lógico’. De fato, há lógica na racionalidade e vice-versa. Quem acha que essas coisas trazem prejuízo à fé, precisa rever seus conceitos.

O que Paulo está querendo dizer à igreja de Cristo?

Por suas colocações vemos que há uma preocupação do apóstolo em mostrar aos irmãos a necessidade de que se realmente entenda a natureza de tudo isso, no caso, a igreja.

Por que estou aqui? Quem me trouxe aqui? O que vim fazer aqui? O que estão me ensinando é verdade? São questionamentos que todos os crentes deveriam se fazer até que encontrassem respostas racionais para todos eles.

O contrário de culto racional é culto irracional. Ou seja, algo que é feito instintivamente, sem critérios ou razões que justifiquem os procedimentos adotados. Em um culto assim é praticamente impossível se seguir o que está escrito: “Tudo, porém, seja feito com decência e ordem” (I Coríntios 14:40) . É impossível que haja qualquer um dos dois componentes pedidos sem que se entenda a natureza de cada um. E é preciso racionalidade para que isso aconteça. Por isso Deus nos fez diferentes das demais criaturas, ou seja, nos criou à sua imagem e semelhança: para que o adorássemos em espírito e em verdade, conscientes de nosso ato e de nossa missão de adoradores.

O reino de Deus é um reino de decência e ordem. Não há espaço para improvisos de última hora. A construção da arca e do tabernáculo comprovam a mensagem de organização que Deus quer nos ensinar. Até na salvação haverá ordem (I Coríntios 15:23).

Esse é o padrão que deve ser perseguido pela igreja de Cristo. Deus se agrada de uma obra organizada.

Em dias atuais podemos identificar como grande adversário desse padrão, o excesso de emocionalismo que tem se alastrado no meio cristão. A busca incessante pelo êxtase e pela experiência sobrenatural extrabíblica, a incorporação de ‘anexos’ doutrinários à Palavra de Deus, como se esta não fosse suficiente e os modismos importados recheados de técnicas mirabolantes de quebra de maldições e encontros obscuros são os componentes deste fim de séc. XX e início de séc. XXI. O que não é uma surpresa, Paulo já alertava que essas coisas fatalmente aconteceriam (I Timóteo 4:1).

Nesse caldeirão doutrinário sem consistência – já que não se sustentam biblicamente – as pessoas estão se dirigindo às igrejas sem saber exatamente o que vão fazer por sua espiritualidade. Vão dançar, cantar, aplaudir, gritar, enfim, sem entrar no mérito dessas questões, quase sempre falta o elemento principal: a Palavra de Deus. Entram e saem alegres e exaustas. O problema é: entenderam a mensagem? A palavra que foi pregada edificou suas vidas? Deus falou com elas através de seu evangelho? Se à maioria dessas perguntas as respostas forem algo como “acho que sim”, algo está fora do lugar.

Cultos de estudo são sempre vistos como ‘enfadonhos’ e ‘entendiantes’. Já pensou, passar quase uma hora apenas consultando referências na Bíblia? Que chato, não? Agora observe Neemias 8:3 “E leu no livro, diante da praça, que está fronteira à Porta das Águas, desde a alva até ao meio-dia, perante homens e mulheres e os que podiam entender; e todo o povo tinha os ouvidos atentos ao Livro da Lei.” Estudo bíblico das seis da manhã até o meio-dia. Após isso, inclinaram-se, e adoraram o Senhor com o rosto em terra. Que lindo, não?

Uma proposta dessas nos dias de hoje seria impensável. Mas se o trabalho for uma celebração com um nome da moda, aí somente um dia inteiro é pouco.

A questão é que não há culto racional sem o entendimento da Palavra. Os ‘avivalistas’ de plantão trocam a bíblia por apostilas preparadas especialmente para direcionar as pessoas para a conclusão que lhes interessa. Seguem o exemplo das testemunhas de Jeová. Alguém já viu um deles evangelizando com uma bíblia em punho? Não, só vão às ruas com exemplares de ‘sentinela’ e ‘despertai’ ou, quando muito, com seus livretos particulares.

Por isso Paulo fala em ‘sacrifício vivo’. Ou seja, sacrifício da vontade da carne para fazer a vontade de Deus. E isso requer dedicação à sua Palavra e não somente àquilo que dá prazer, como por exemplo, ir para um retiro. Requer decência e ordem. Compromisso e organização.

Autor: Missionário Neto Curvina
Fonte: [ Palavra Prudente ]
Via: [ Novo olhar Reformado ]

.
Imprimir ou salvar em PDF

14 comentários

MATERIAS PERTINENTES AOS NOSSOS DIAS, excelente! acompanho o blog e desejo de toda a alma que o SENHOR JESUS CONTINUE A ABENÇOAR O SEU CORPO QUE É A IGREJA e que venha pelejar por sua obra pois nosso DEUS COM CERTEZA NÃO É BAAL!!! QUE DEUS VOS ABENÇOE EM CRISTO JESUS!!!!!

Responder

Toda vez que um presbiteriano ou equivalente tentam explicar o que é "culto racional" insistem nessa mesma tecla." Nesse caldeirão doutrinário sem consistência – já que não se sustentam biblicamente – as pessoas estão se dirigindo às igrejas sem saber exatamente o que vão fazer por sua espiritualidade. Vão dançar, cantar, aplaudir, gritar, enfim, sem entrar no mérito dessas questões, quase sempre falta o elemento principal: a Palavra de Deus. Entram e saem alegres e exaustas." Colocações como as de cima vem sempre a tona.Sou neto e filho de pastores presbiterianos e conheço esse discurso de traz para e frente. racional seria a frieza fúnebre de seus templos? Racional seria a frieza de suas reuniões?Racional seria o racionalismo das mensagens que saem de seus púlpitos? Francamente, o grande problema é que voces "racionalizam de mais e vivem de menos e estão sempre prontos a criticar o que outros estão.Não sou a favor de extremos, nem do extremo dos "avivalistas de plantão" nem dos extremos dos céticos racionalistas como o autor do artigo.

Responder

O Bereianos só publica comentários de quem é a favor do autor do post? Gostaria de entender?
Pr Anselmo Melo
www.pranselmomelo.blogspot.com

Responder

Sr. Anselmo.

Primeiramente demorei a aprovar seu comentário porque estava preparando uma resposta ao sr.

Sobre suas colocações, eu discordo completamente. O foco do artigo é Romanos 12:1, ou seja, não é o que batistas, presbiterianos ou pentecostais pensam, é o que a Bíblia diz! E também o foco não é a questão de "frieza fúnebre nos cultos", algo que sou contra também. Não vejo em momento algum que o artigo em questão é "cético e/ou racionalista" como o sr. afirma, aliás, o sr. confunde o "racional de Romanos 12:1" com o movimento filosófico do racionalismo, o que é diferente.

Se a palavra de Deus nos indica que temos que "raciocinar" para compreender a mesma, como conciliar esta realidade com os problemas que ocorrem em muitos cultos "irracionais" e místicos que são descritos neste artigo, nos quais só afastam as pessoas da palavra de Deus e as aproximam de uma irrealidade mística e anti-biblica?

O assunto abortado neste artigo é exatamente este ponto.

Segue alguns links para artigos sobre o assunto em questão que eu indico:

Religiosidade e o Misticismo da Idade Média: Lições Para os Nossos Dias:
http://bereianos.blogspot.com/2009/11/religiosidade-e-o-misticismo-da-idade.html

Fé racional ou crença irracional?
http://bereianos.blogspot.com/2009/07/fe-racional-ou-crenca-irracional.html

O misticismo na igreja:
http://bereianos.blogspot.com/2009/10/o-misticismo-na-igreja.html

Responder

Sr Ruy
Primeiramente não escrevi pensando em uma resposta, até porque sei que a mesma se viesse, e como veio, seria na tentativa de defender o artigo, e isso é quase lógico.
Quanto ao seu “eu discordo completamente”, também seria de esperar em caso de uma réplica. O foco do artigo, (aí digo eu: Eu discordo totalmente) não tem nada há ver com Romanos 12:1, e sim, o que batistas, presbiterianos e outros pensam sim sobre como deveria ser a forma correta de culto ou liturgia.
Admiro-me, no entanto, de sua sapiência ao dizer que confundi “racional” com o racionalismo do movimento filosófico. A de se admirar mesmo que o irmão tenha concluído isso com tão pouco material para analisar.
Concordo com o posicionamento doutrinário da maioria dos posts aqui do bereinos, não o fosse assim não seria seguidor do mesmo e nem tão pouco divulgaria sua página em meu blog gratuitamente e sem nunca lhe ter pedido qualquer retribuição. Talvez o irmão nunca tenha tido a curiosidade de conferir, mas, no geral, meu blog tece criticas severas quanto às mesmas coisas que o irmão expõe aqui.
Sou de origem presbiteriana, neto e irmão de teólogos que seguem essa mesma linha de raciocínio, fui batista, conheço esse “discurso” de cor e salteado, não sou a favor de extremismo, mas, enquanto tais teólogos teorizam esses tais “aproveitadores” promotores de “cultos irracionais” estão por aí fazendo com que suas igrejas cresçam em uma rapidez assustadora. Minha critica aqui irmão Ruy é nesse sentido: Primeiro, que o Sr Não me tenha por neófito, pois posso assegurar-lhe que não sou, e também que presbiterianos, batistas e seus pares criticam demais e trabalham de menos, teorizam demais e vivem de menos.
Paz!Sempre!

Responder

Boa Tarde,
Não sou pastor, mas também sou blogueiro e prezo muito pelo que posto em meu site e o que afirmo tanto nos artigos quanto nos comentários.
Por isso quero fazer aqui apenas uma exortação com relação as afirmações do Pr. Anselmo: você foi de uma infelicidade extrema ao dizer que "presbiterianos, batistas e seus pares criticam demais e trabalham de menos, teorizam demais e vivem de menos".
Você demonstrou ser intolerante e desconhecer completamente a realidade das igrejas das quais discorda.
Ser parente de alguém que frequenta determinada denominação não faz de você um expert sobre o assunto.
Acredito que quando refletir melhor verá que, embora, em parte de seus argumentos você estivesse correto, arrematou de maneira, no mínimo, deselegante.
Soli Deo Glória.

Responder

Sr. Anselmo.

Seus argumentos no primeiro comentário estão repletos de inverdades e falácias, e no segundo comentário também. Ainda tentei lhe ajudar enviando alguns links para o sr. analisar, porém vejo que os mesmos devem ter sidos ignorados, haja visto o conteúdo de seu segundo comentário.

Você acusa presbiterianos e batistas de céticos racionalistas, isso mostra que o sr. desconhece a realidade destas igrejas, e para tentar justificar utiliza o fato de ter parentes nestas denominações. Ora, como o Wilson exortou acima, isso não lhe faz um especialista em igrejas reformadas.

Sobre sua afirmação de que o conteúdo do artigo não tem nada haver com Romanos 12:1, não tem o menor fundamento. Ora, o autor do artigo aborta com propriedade (análise exegeticamente correta) a interpetação e a contextualização da necessidade de termos um culto racional (escutar, raciocinar e compreender a palavra de Deus), em detrimento de muitas igrejas que irracionalizam os cultos, pois deixam de lado a pregação correta da palavra de Deus, dando ênfase ao seus excessos místicos e métodos humanos.

A menos que o sr. tenha uma "outra" interpretação desta passagem que trata sobre o "culto racional" que venha a refutar tudo o que o autor do artigo coloca, não vejo consistência bíblica nenhuma para sua afirmação.

Sola Scriptura!

Responder

Sr Ruy e Sr Wilson.
Apenas citei o fato de ter parentes em tais Igrejas a fim de demonstrar que tenho sim algum conhecimento de causa quanto as denominações mencionadas. No entanto o que conheço é de ter vivido por lá. Fui criado dentro da Igreja Presbiteriana, neto de pastor e filho de presbítero e por fim irmão de pastor. Fui batista durante 9 anos. Vice-moderador,Pres. de EBD, Prof. de EBD,Presidente da AJUBAN, colaborador por alguns anos na JUBERJ. Daí do auto de sua sapiência você vem me dizer que não tenho conhecimento de causa daquilo que falo? Preste atenção caríssimo Ruy antes de chamar alguém de falacioso e mentiroso. É isso que ensina sua teologia reformada? Não me referi aqui a sua pessoa dessa forma desrespeitosa.É evidente que generalizei falei em presbiterianos e batistas, existe lá sim muita gente boa e trabalhadora.Porém, no geral acontece exatamente como afirmei, teorizam de mais e vivem de menos. Assim como o Wilson me chamou de deselegante e ignorante penso que deselegância e ignorância realmente é falar daquilo que não se sabe. Isso posto, demonstrei aqui que conheço sim a realidade dessas denominações, e você, me conhece? Os maiores culpados da proliferação das práticas abordadas originalmente são exatamente das Igrejas históricas. Não fosse a inércia e presunção de seus líderes a situação não teria chegado a tal ponto.Sr Ruy, já que o sr. gosta tanto de advertir vou lhe fazer novamente uma advertência também. Aprenda a ter respeito pelas pessoas, eu não lhe destratei em momento algum, apenas discordei do autor de um post colocado aqui. Se sua teologia reformada não lhe ensinou a ter respeito pelas pessoas ela na verdade não lhe serviu até agora para nada. Chame então de falacioso e de mentiroso os seus pares.

Responder

Sr. Anselmo Melo.

Primeiramente não vou responder suas acusações à minha pessoa, a minha formação reformada e nem aos "meus pares", pois cometerei a falácia "argumentum ad hominem". Afinal, minha formação "reformada" não permite partir para este foco em um debate e sim a me concentrar no "campo das idéias".

Deixo claro ao sr. que em nenhum momento lhe desrespeitei e muito menos lhe chamei de mentiroso, não sei aonde o sr. viu tais afirmações ou desrespeito em meus comentários. Acima de tudo eu prezo pelo respeito e democracia com todos que acessam o Blog Bereianos, o sr. jamais verá falta de respeito de minha parte.

Agora, quando eu disse que "seus argumentos no primeiro e no segundo comentário estão repletos de inverdades e falácias", apenas utilizei de "verbetes técnicos" que expressam os erros em seus próprios argumentos. Não ataquei em momento algum a "sua pessoa", mas sim "seus argumentos". Não podemos confundir o debate no campo das idéias com ataques pessoais caluniosos, o que não aconteceu da minha parte em momento algum. Os comentários estão aí, públicos para quem quiser ver.

Inverdade = Caráter do que não é verdade.
Falácia = Argumento logicamente inconsistente, sem fundamento, inválido ou falho na capacidade de provar eficazmente o que alega.

"Inverdades e falácias" por generalizar sua crítica afirmando que os presbiterianos e batistas "teorizam demais e vivem de menos"; que os cultos de ambos são frios e fúnebres; por afirmar que o artigo em questão não tem nada haver com Romanos 12:1; por não refutar biblicamente para sustentar sua opinião; por afirmar que o autor do artigo é cético e racionalista; por concentrar suas respostas à ataques pessoais ao invés do campo das idéias e ir diretamente ao "foco" do ponto principal de nossa discussão (romanos 12:1), etc. Enfim, aonde está o desrespeito em utilizar as palavras "inverdades" e "falacias" para traduzir suas próprias afirmações? Por acaso tais palavras para os seus argumentos soam como ofensas e desrespeito?

Novamente torno a falar, o fato do sr. conhecer ou ter vivido em uma igreja presbiteriana ou batista não valida o que o sr. colocou, pelo contrário, entra em contradição com a realidade vivida por mim, por exemplo.

Por fim, para focar a nossa conversa, espero ter lhe esclarecido e mais uma vez coloco o mesmo pedido que fiz ao sr. no meu último comentário:

Sobre sua afirmação de que o conteúdo do artigo não tem nada haver com Romanos 12:1, não tem o menor fundamento. Ora, o autor do artigo aborta com propriedade (análise exegeticamente correta) a interpetação e a contextualização da necessidade de termos um culto racional (escutar, raciocinar e compreender a palavra de Deus), em detrimento de muitas igrejas que irracionalizam os cultos, pois deixam de lado a pregação correta da palavra de Deus, dando ênfase ao seus excessos místicos e métodos humanos.

A menos que o sr. tenha uma "outra" interpretação desta passagem que trata sobre o "culto racional" que venha a refutar tudo o que o autor do artigo coloca, não vejo consistência bíblica nenhuma para suas afirmações.

Sola Scriptura!

Responder

PAZ!
Muito boa explicação, matéria de excelente conteúdo. irmãos fico relamente honrado em elr isto hoje, pelo que vemos nos púlpitos hoje, matérias assim são como ouro de Ofir. O racional foi trocado pelo irracional, o homem tem o poder de comunicação, mas hoje tem acontecido manisfetações onde galinhas, vacas, cobras se manifestam... Isso é racional??????
Apostasia pura.

Espero a volta de Cristo.

Responder
Anônimo mod

Parab3ns pelo post... gostaria ter ter mais tempo para expor explicações deste nivel sobre a palavra de Deus... concordo com sua explicação e digo que eh a verdade... muitos querem defender seus modismos mas a verdade eh uma só. Vejo um crescimento do numero de cristãos em grande escala porem uma diminuição na mesma proporção da essência do evangelho. Enfim... oremos para que os lideres façam o que eh certo.

Responder
Anônimo mod

Absolutamente fantástico. Excelente artigo. Idéia irretocável.

Responder
Anônimo mod

Otimo texto! O que mais vemos hoje nas igrejas (sejam elas de qquer denominação) é um culto extremamente voltado à emoção, sem conteúdo bíblico. Os fiéis se concentram em seguir tudo o que o líder fala, cegamente, sem se questionar o porquê, e ainda, sem se voltar pra Palavra. O que vemos hoje, é um crescimento em quantidade de fiéis e líderes espirituais, mas sem "qualidade", no que se diz a base e a essência, que é o próprio Deus e Sua palavra!

Responder

Amo tdos vcs: batistas, presbiterianos, pentecostais, wesleyanos!
Vamos lutar para expandir o Reino, pois tem muita gente precisando saber sobre Ele. O que há em comum entre nós cristãos (ou não) é a necessidade de regeneração. Conseguem refletir na profundidade desta palavra pra si próprio?
Paz/Shalom ou apenas boa tarde!

Responder

Postar um comentário

Política de moderação de comentários:

1 - Poste somente o necessário. Se quiser colocar estudos, artigos ou textos grandes, mande para nós por e-mail: bereianos@hotmail.com

2 - A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Comentários com conteúdo ofensivo não serão publicados, pois debatemos idéias, não pessoas. Discordar não é problema, visto que na maioria das vezes redunda em edificação e aprendizado. Contudo, discorde com educação e respeito.

3 - Comentários de "anônimos" não serão necessariamente postados. Procure sempre colocar seu nome no final de seus comentários (caso não tenha uma conta Google com o seu nome) para que seja garantido o seu direito democrático neste blog. Lembre-se: você é responsável direto pelo que escreve.

4 - A aprovação de seu comentário seguirá os nossos critérios. O Blog Bereianos tem por objetivo à edificação e instrução. Comentários que não seguirem as regras acima e estiver fora do contexto do blog, não serão publicados.

Para mais informações, clique aqui!

Blog Bereianos!